domingo, dezembro 30

segunda-feira, dezembro 24

QUAL?
 
Estou aqui concentrado a fazer um poema. Não sei porquê, mas falta-me sempre uma palavra. Às vezes encontro-a a passear na rua em baixo, outras vezes peço-a emprestada às aves que passam. Neste país falta uma palavra. Porque, como disse Lucrécio, uma simples palavra, pronunciada pela boca de alguém que grita, penetra nos ouvidos de uma multidão inteira. Mas, qual será ela?

 

domingo, dezembro 9

PLUTARCO E OS INIMIGOS
 
Estou a ler Plutarco (46-125 d.C), um livro muito interessante, "Como tirar proveito dos inimigos". Não é que eu tenha inimigos, mas convém sempre saber a opinião dos doutos:
 
Se pretendes afligir aquele que te odeia, não o qualifiques como homem degenerado nem cobarde, nem libertino, nem palhaço, nem ignóbil, mas sê tu mesmo um homem. Age com moderação, sinceridade e trata com amabilidade e justiça todos os que lidam contigo.